domingo, 5 de agosto de 2007

Jesus amava mais as pessoas que a lei


JESUS AMAVA MAIS AS PESSOAS QUE A LEI...

-Fazia o que a Lei proibia ao Sábado, e dizia que era “o sábado para o homem”, e não o oposto… (Mt 12, 9-14; Mc 2, 27-28; Jo 5, 18)
- No relato da mulher adúltera, só ele se preocupa com a mulher, enquanto os outros se preocupam com “a Lei”… (Jo 8, 1-11)
- Em Mateus, resume toda a Lei ao mandamento do amor… (Mt 22, 34-40)
- Em João, dá um “mandamento novo”… (Jo 13, 34; 15, 12-17)
- Coloca o Homem no centro, e o amor como critério, mesmo em relação ao puro/impuro: acusado de não fazer as lavagens rituais, diz que “não é o que vem de fora que torna puro ou impuro (lei) mas o que vem de dentro (amor)”… (Mc 7, 1-23)

Jesus revela um Deus que não é legislador. Não tem no centro do Seu olhar uma Lei que quer que todos cumpram sob pena de castigo. No centro do Seu olhar, como menina dos seus olhos, está o Homem “criado à sua imagem e semelhança”; e o critério do Seu olhar e agir para connosco é só o Amor.
O Deus que não é senão Amor, não sabe senão Amar!!!Deus que é Amor – e não é senão Amor! – anima-nos às obras do Amor, e não propõe nada senão o que o Amor inspira e modela. “AMA E FAZ O QUE QUISERES!” Não há para Deus outro critério nem “medida” senão o Amor: “Vinde benditos de meu Pai… porque amastes!” (Mt 25, 34-45).

Onde está uma Lei como medida ou critério? É o Amor o “peso na balança” de Deus. Concluímos daqui que vivemos sem Lei? Não! Concluímos, isso sim, que a Lei da nossa vida é o amor, e as leis válidas para cumprir são aquelas que o amor dá à luz. É o amor, consagrado pelo Espírito Santo e pela Palavra de Deus, que dá à luz a “Nova Lei” dos filhos de Deus, Lei que não é uma legislação, “de fora para dentro”, escravizante, mas é um jeito próprio de ser e agir segundo o coração de Deus, animado pela mesma escuta da Palavra actuada pelo Espírito.
Esta sim, é a “Lei da Nova Aliança”: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amo”. A “LEI DA NOVA ALIANÇA” NÃO É UMA LEGISLAÇÃO, mas uma configuração do Coração com o próprio Coração de Jesus, de modo a que, conduzidos e animados interiormente pelo mesmo Espírito Santo, nos construamos à “imagem e semelhança de Deus” e construamos o Seu Reino, que é um Mundo Novo em que os Homens sejam cada vez mais irmãos e menos adversários, o mundo em que, finalmente “Caim deixe de matar Abel”…

A "Lei da Nova Aliança" não é uma "nova legislação", mas uma nova Lógica, a Lógica do Espírito Santo! Por isso, Lucas, ao escrever o livro dos Actos dos Apóstolos, coloca simbolicamente o dom do Espírito Santo como princípio de uma Nova Humanidade reconciliada entre si na comunhão de todas as línguas, a acontecer no dia do Pentecostes (comemoração do dom da Lei Antiga, no monte Sinai, por Moisés), como sinal da "Nova Lei", já "não escrita em tábuas de pedra, mas inscrita em corações de carne" (Jer 31, 31), já não uma imposição de fora, mas uma experiência de Amor que nos transforma radicalmente.

Um comentário:

Moon Fairy disse...

como eu gostava de ter conhecido jesus...